21/07/2015

Resenha Literária | Anámnesis

Título: Anámnesis 
Autor: Lucas Lima
Editora: GBL 
Número de páginas: 58 
Sinopse: "Tenho pouco a falar deste livro. Coletei alguns dos textos que escrevi ao longo dos últimos anos e resolvi reuni-los nessa obra. Assim o fiz, porque queria ver-me manipulado, observado,  questionado,  medido. Principalmente medido. Gosto quando as pessoas me delimitam. Por que elas simplesmente crêem estar dizendo a verdade sobre mim, e o resultado disso sempre me diverte. Receber essas percepções e lidar com elas é excitante.  É um livro heterogêneo.  Reúne textos de diversas fases da minha vida.  Reúne também,  estéticas diversas,  e duas formas de escrever que me são caras: "Prosa" representada por pseudo-cronicas e "Verso" representado por poemas. Cogitei a inserção de microcontos,  mas estes merecem publicação exclusiva e específica. Tento através de minhas linhas, de modo geral,  dizer que o amor é sim uma grande Musa para a escrita,  e que no fundo, todos nós o buscamos, embora passemos a vida toda em sua caça, sem êxito. Desejo-lhes uma leitura agradável. Não tenho a menor pretensão de que este livro abrase as almad saturadas de informação de nossa contemporaneidade,  e não pretendo também trazer algo novo. Isso alarmaria a sensibilidade de alguém que tenha percorrido os caminhos da literatura,  ciências e arte, que tentaria me provar, (e certamente conseguiria), que tudo o que eu digo e penso já foi feito antes e de melhor modo.Minha fala, representada por estes textos, em última instância,  é uma fala de amor e esperança.  É um último suspiro de uma alma saturada dos desmandos da vontade humana. Que esse livro possa prender sua atenção. É tudo que peço."
Oi, oi gente abençoada? Tudo bem com vocês? 

Resenha

 No livro somos apresentados com dois tópicos, que são: Livro de Prosa e Livro de Verso. Sou suspeita para falar sobre o livro de verso, porque gosto bastante da construção e da rima bem feita, mas o livro de prosa nos mostra a vida do autor de uma forma bem serena e sincera.
Às vezes, lavamos as mãos diante de uma decisão importante, damos de ombros aos problemas alheios, e não raro até para os nossos próprios dilemas. A escolha mais fácil diante de duas opções, na maioria das vezes é recuar e não escolher nada. Parece o melhor, o menos dolorido, o mais simples. Mas não. É o mais difícil. E é o mais difícil porque nos ilude com uma facilidade inicial, mas nos apunhala quando menos esperamos. I - Não nos tornemos Indiferentes, página 15
Me vi concordando com algumas de suas frases e ideias, principalmente sobre escolhas. Sua opinião é bem colocada para cada fase de sua vida e percebemos que a influência da filosofia o ajuda bastante a entender o que se passa no momento, usando palavras bem pensadas e que nos faz refletir sobre a vida.
Estendemos  que a esfera do amor seja a esfera da entrega. Amar é entregar-se, doar-se. Seja a uma causa, seja a uma filosofia, a um sonho ou a uma pessoa: entrega-te, doa-te. I - Não nos tornemos Indiferentes, página 16 
Acho legal poder saber, conhecer mais sobre a vida do autor em meio as experiências contadas a cada nova prosa, a cada nova palavra. Lucas usou com maestria sua habilidade com as palavras, que fazem a gente se aprofundar numa reflexão sobre o que estamos vivendo de verdade e se estamos vivendo, ou só existindo. Essa foi a minha conclusão sobre essa prosa em especial, no qual me chamou bastante a atenção (tanto é que marquei mais de uma frase da mesma hahaha).
Mesmo tendo tido desilusões em sua vida e perdas, ele nos incentiva a continuar, como eu diria: colocar as incertezas, os medos, a insegurança debaixo do braço e sair caminhando de cabeça erguida, porque o dia de amanhã não será igual ao de hoje. Achei genial ele colocar o fato de que já tratei aqui no blog, com suas palavras entendo sobre não nos tornarmos vítimas a cada situação, mas sim superá-las sem nos fazer de coitadinhos e derrotados.
Fazemos escolhas e elas nos fazem. A cada dia quando escolhemos levantar e viver, temos uma infinidade de possibilidades. VIII - Escolhas, página 29 
Exatamente! Considero esta a melhor frase e opinião para mim. Nós é que fazemos nossas próprias escolhas e até mesmo elas nos fazem, a partir do momento em que nos deixamos escolher. A cada nova escolha, mais possibilidades como consequências aparecerão, essa é a vida e nós temos o livre arbítrio para escolher: a morte ou a vida.
Gostei bastante, mesmo que em certos momentos eu não concordasse, mas respeito a sua opinião Lucas e isso não afeta a leitura, pois você soube o que estava fazendo, vemos sinceridade em sua escrita e na forma como quer se encontrar. Parabéns e sucesso! 
Aqui, estão os dois versos que mais me chamaram a atenção e que mais gostei: 
V - Leia-me
Leia-me
Atráves do seus dedos.
Como um cego'
Em braille,
Mapei-me
E grave-me,
Em ti.
No fluxo
Intermitente
Do contato,
Semi abordagem,
Leia-me os olhos
Com seus olhos
Eu me aproximo
E leio teus lábios
Com meus lábios
Mão frias,
Corpos quentes
O desejo
Já latente
Que transborda
Neste livro
Meu e seu,
Que chamamos
Nosso amor.
Leia-me
Enquanto abordo-te
E leio-te
Leia-me. 


XI - Falar
Falar de amor não é amar,
Falar de sabedoria não é saber,
Falar do desejo não é desejar
Falar é falar
E dizer é dizer
Saber a diferença,
Faz toda a diferença. 

Espero que tenham gostado da resenha e que não deixem de saber mais sobre esta bela obra. aqui, vocês podem encontrar as informações de onde encontrá-lo e onde encontrar sua obra.
Não deixe de comentar a sua opinião, ela é importante! 
Fiquem bem!

0 comentários

Que tal deixar a sua opinião registrada aqui no blog?! Nós ficamos muito felizes por saber o que você pensa e pela sua visita.
Por favor, nada de comentários não construtivos e desrespeitosos :D
Deus te abençoe e volte sempre que quiser!
Comentários passam por moderação e são sempre respondidos! Caso queira ver a resposta, ative a notificação ^-^